Logotipo Gazeta do Urubu
pt-br
Futebol

EX-PRESIDENTE DO FLAMENGO, BANDEIRA DE MELLO ABRE O JOGO SOBRE POSSÍVEL CANDIDATURA

O dirigente rubro-negro entre 2013 e 2018 deu declaração sobre as eleições do clube, que aconteceram no final do ano

Bandeira de Mello / Divulgação
Bandeira de Mello / Divulgação

  |

Icon Comentário0

Presidente do Flamengo entre 2013 e 2018, Eduardo Bandeira de Mello voltou a falar sobre as eleições do clube, que acontecem no final deste ano. Convidado da “Rema TV”, em Porto Velho, Bandeira foi taxativo ao dizer que só será candidato caso seja “indispensável”, mas revelou desejo de participar em outra função.

Em entrevista que foi ao ar no canal da “Rema TV” no Youtube, Eduardo Bandeira de Mello demonstrou confiança na vitória do seu grupo político nas eleições: “O meu grupo político vai participar das eleições do Flamengo e eu acho que vai ganhar. Não pretendo ser o candidato a presidente, apenas se isso for indispensável”, disse, antes de completar.


“Acho que já dei minha contribuição. Eu quero sim, participar da próxima administração, mas em alguma função estratégica. O trabalho no Flamengo e o trabalho que fizemos lá não é um trabalho individual, ninguém faz nada sozinho. É um trabalho de grupo, e o nosso grupo vai voltar. Tenho certeza que tudo vai dar certo”, afirmou.


As eleições do Flamengo acontecerão em dezembro deste ano, mas os candidatos ainda não estão definitos. Após dois mandatos, o atual presidente, Rodolfo Landim, não poderá concorrer, e tudo indica que irá apoiar Rodrigo Dunshee de Abranches. Luiz Eduardo Baptista, o Bap, também deve concorrer ao pleito.



Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, Eduardo Bandeira de Mello foi questionado sobre a conciliação entre futebol e política. O deputado, que divide seu tempo entre Brasília e Rio de Janeiro, disse que não consegue ir ao Maracanã com a frequência que gostaria, mas foi firme ao dizer que consegue sim conciliar as duas coisas.

“Dá para conciliar com certeza. Claro que sinto falta dos jogos do Maracanã às quartas-feiras, porque às quartas eu estou sempre lá na Câmara, tem sessão, tem ordem do dia, então não dá para estar no Maracanã, só nos finais de semana. Mas lá em Brasília é uma cidade muito simpática, gosto muito, e já descobri todos os principais pontos que a gente tem lá para assistir aos jogos do Flamengo”.



Futebol

MATHEUS BACCHI FALA SOBRE O CURTO TEMPO DE PREPARO DO ELENCO DO FLAMENGO

O auxiliar de Tite fala sobre o momento do clube

Internet/Flamengo
Internet/Flamengo

  |

Icon Comentário0

Nos últimos anos, a discussão sobre a necessidade de reorganização do calendário do futebol brasileiro tem se intensificado. Entre as vozes que clamam por mudanças, destaca-se a de Matheus Bachi, que recentemente abordou a importância de se repensar o formato atual das competições nacionais.

Uma das principais preocupações levantadas por Bachi é o tempo disponível para que as equipes trabalhem entre os jogos. Segundo ele, é fundamental que haja um período adequado para treinar, definir padrões e preparar os jogadores que vão iniciar as partidas, assim como aqueles que entrarão durante o jogo. Essa preparação é essencial para garantir um desempenho consistente e competitivo em todas as competições.


FLAMENGO E O TEMPO DE PREPARO 


Bachi destaca que, para valorizar todas as competições, como o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, é crucial que os times tenham condições de dar o máximo em cada jogo. No entanto, com o calendário apertado e uma sequência intensa de jogos, essa tarefa se torna praticamente impossível. A falta de tempo para recuperação e preparação afeta não só o rendimento dos jogadores, mas também a qualidade do espetáculo oferecido aos torcedores.

A saúde dos atletas é outro ponto central na argumentação de Bachi. Ele enfatiza que é necessário uma reorganização do calendário no futuro para preservar a integridade física dos jogadores. Atualmente, a sobrecarga de jogos e a falta de tempo para recuperação aumentam o risco de lesões, o que compromete a carreira dos atletas e a competitividade dos times.



Futebol

TITE DETONA CALENDÁRIO DOS ESTADUAIS NA COLETIVA APÓS A VITÓRIA DO FLAMENGO

A redução dos campeonatos regionais é uma sugestão que merece ser considerada com seriedade

Internet/Flamengo
Internet/Flamengo

  |

Icon Comentário0

No cenário atual do futebol brasileiro, um dos pontos mais discutidos é a gestão dos campeonatos regionais e seu impacto no calendário esportivo nacional. A intensidade e frequência desses torneios têm sido motivo de debate entre jogadores, técnicos e dirigentes, que sugerem uma reformulação que possa beneficiar tanto os clubes quanto os atletas.

Recentemente, uma sugestão tem ganhado força: a diminuição dos campeonatos regionais. A proposta é clara e direta: reduzir a quantidade de jogos dos regionais para proporcionar mais tempo de descanso aos jogadores e, consequentemente, ampliar a janela de tempo disponível para o Campeonato Brasileiro.

FLAMENGO TEM SUAS VOABILIDADES NA TEMPORADA 


Atualmente, os campeonatos regionais são disputados de forma intensa, com partidas acontecendo de domingo a domingo. Essa rotina exaustiva resulta em uma média de apenas cinco dias de folga para os jogadores entre um jogo e outro. A carga de trabalho não só compromete o desempenho dos atletas em campo, como também aumenta o risco de lesões, afetando a qualidade dos jogos e a saúde dos profissionais.


Com a redução dos campeonatos regionais, seria possível destinar um período maior para a realização do Campeonato Brasileiro. Essa mudança traria benefícios significativos para o calendário esportivo, permitindo uma melhor organização e planejamento das partidas, além de proporcionar um descanso adequado aos jogadores. Com mais tempo disponível, os clubes poderiam se preparar de forma mais eficaz para os confrontos nacionais, elevando o nível das competições.


Futebol

EITA! EX-PRESIDENTE DO FLAMENGO ACABA SENDO BARRADO NO MARACANÃ ANTES DE JOGO CONTRA O GRÊMIO

Depois de problema no biometria facial, o ex-dirigente teve dificuldades para acessar o estádio

Maracanã / Divulgação
Maracanã / Divulgação

  |

Icon Comentário0

O Flamengo implantou nesta temporada a entrada ao Maracanã via biometria facial. No entanto, a novidade deixou o ex-presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, ‘na mão’ na quinta-feira (13), antes do duelo contra o Grêmio. Pouco antes de a bola rolar para o embate da oitava rodada do Brasileirão, o mandatário do Fla de 2013 a 2018 relatou nas redes sociais os problemas encarados para acessar o estádio.

“Depois de ser barrado no reconhecimento facial e encarar uma fila quilométrica junto com vários rubro-negros na mesma situação, finalmente chegamos à rampa de acesso. Mas pra ver o Mengão vale tudo”, escreveu Eduardo Bandeira de Mello no X, o antigo Twitter, uma hora antes de a bola rolar no Maracanã.



A biometria facial estreou em jogos do Flamengo no dia 07 de fevereiro, contra o Botafogo, pela sétima rodada do Campeonato Carioca. Na ocasião, apenas o setor Maracanã Mais contou com a novidade. Contudo, no confronto diante do Grêmio, há mais áreas com a tecnologia, como Oeste Inferior, Maracanã Mais, Leste Inferior, Leste Superior e Sul.

Apesar dos transtornos, Eduardo Bandeira de Mello deve ter gostado do que viu. Mesmo com muitos desfalques, o Flamengo venceu o Grêmio, por 2 a 1, e segue líder do Campeonato Brasileiro. Agora, o time de Tite tem 17 pontos após oito rodadas.

No entanto, o treinador será desfalque na próxima partida do Flamengo. Com três cartões amarelos, Tite terá de cumprir suspensão contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada, no domingo (16), a partir das 16h (horário de Brasília).



envelopeSUBSCREVER NEWSLETTER

envelopeSUBSCREVER NEWSLETTER


+ notícias
Futebol

TITE SAI EM DEFESA DO ELENCO DO FLAMENGO APÓS VITÓRIA SUADA - CONFIRA

 

Icon Comentário0
Futebol

WERTON EX-FLAMENGO BRILHA NA CHEGADA AO LEIXÕES -CONFIRA

 

Icon Comentário0
Futebol

O "HOMI" TA VOLTANDO! PELO SEGUNDO JOGO SEGUIDO, GABIGOL SAI DO BANCO PARA DECIDIR EM VITÓRIA DO FLAMENGO

 

Icon Comentário0